Portugal por quê?

Muita gente tem me perguntado por que escolhi Portugal como destino de intercâmbio. Numa das várias tentativas de explicação, me dei conta de que a paixão pelas terras lusas é bem mais recente do que se possa imaginar. Então, resolvi organizar (ou tentar) essas razões escrevendo. Antes de tudo, preciso confessar que esse não era meu destino preferido um ano atrás.

Na verdade, nem cogitava estudar em Portugal. Sempre quis morar fora, mas este país me parecia mais um local de passeio que de moradia. Talvez porque meus planos originais eram viajar para aprender outras línguas, depois é que viria um intercâmbio acadêmico. Mas um acaso maravilhoso me deu a oportunidade de cursar um período da faculdade lá e inverter essa ordem. Hoje, oito meses depois de receber a notícia da aprovação, não tenho dúvidas de que vai ser massa morar nas simpáticas residências portuguesas (que têm varandinhas lindas) e andar pelas ladeiras de Coimbra por meses.

Tudo começou quando o Santander Universidade abriu mais um edital de bolsas de mobilidade estudantil para graduação. No ano anterior ao que concorri (2012), havia vagas para Portugal e Espanha. Sabendo da oportunidade, pretendia tentar a sorte para a Espanha. Mas, com o novo edital, veio a notícia de que desta vez os estudantes da minha faculdade (Universidade Federal de Pernambuco) só poderiam ir para Portugal. Admito que fiquei um pouco desapontada no início, mas lembrei que a experiência seria igualmente enriquecedora, fui lá e me inscrevi do mesmo jeito.

Depois de alguns meses de espera (e apreensão), saiu a lista dos aprovados. E, mais uma surpresa, lá estava eu entre as selecionadas! Fiquei tão feliz que nem lembrei mais da minha primeira opção hehe. Passada a empolgação inicial, pesquisei por horas as cidades e as universidades em que eu poderia estudar. E a verdade é que bastaram alguns cliques para que eu me afeiçoasse ao clima luso. As ruas estreitas, os sobrados coloridos e o bonde antigo, além dos relatos empolgados de outros intercambistas, foram o suficiente para achar bastante agradável a ideia de viver em alguma cidadezinha portuguesa.

No início, minhas opções de estudo eram a Universidade de Coimbra, a Universidade do Porto e a Universidade Nova de Lisboa. Encantada com cada detalhe de cada cidade, sofri para escolher a primeira opção. Mesmo com o charme marítimo de Porto e a imponência da capital, optei por Coimbra, ao norte. Uma cidade pequena que abriga a faculdade mais antiga da Europa e estudantes de todos os cantos do mundo.

Para mim, a atmosfera tradicional dos uniformes e prédios antigos misturada ao clima jovem dos universitários dá um charme todo especial à Coimbra. Para tirar a dúvida, ouvi relatos (maravilhosos, por sinal) de outros estudantes que já haviam passado por lá e até hoje são apaixonados pela cidade. Para completar, vi algumas amigas deixarem o Recife para estudar na cidade e não pararem de postar fotos incríveis. Curiosa que sou, vi cada uma das fotografias. Com o tempo, a curiosidade virou encanto e depois paixão. Hoje, a três semanas da viagem, não paro de ver coisas relacionados ao mundo luso, imaginar como será viver em Coimbra e planejar viagens ao redor de Portugal (e também da Europa).

Por fim, só tenho uma coisa a dizer: Obrigada, Santander, por me levar a Portugal! haha

A lista de selecionados no programa de bolsa luso-brasileiras do Santander na UFPE em 2013

A lista de selecionados no programa de bolsa luso-brasileiras do Santander na UFPE em 2013

Quem não conhece o programa Santander Universidade pode saber um pouco mais aqui. Basicamente, é um sistema que oferece bolsas de mobilidade estudantil para as faculdades conveniadas ao banco. Ou seja, bolsas de graduação-sanduíche. Há oportunidades para países como Espanha, México, Chile e, claro, Portugal. Todos os anos são abertos novos editais e os alunos concorrem apenas com a sua média acadêmica. Normalmente, são dez bolsas em cada chamada. Dessas, três são para aqueles que têm direito a auxílio social e incluem passagem de avião. As restantes concedem a matrícula da universidade e uma quantia para você se manter no país de destino durante o semestre em que estiver estudante fora.

Esta segunda opção foi o meu caso. No ano passado, quando fui selecionada pelo programa, recebi cerca de 3 mil euros. Hoje esse valor já é um pouco menor por causa da variação na cotação. Mesmo assim, acredito (torço mais, na verdade) que dá para viver por lá. Mas, como não serei tão econômica e vou aproveitar esse tempo para conhecer outros países, também estou levando uma graninha extra. De todo jeito, acho que o programa é um incentivo massa para quem quer estudar fora e precisa de uma força financeira.

Anúncios

Um comentário sobre “Portugal por quê?

  1. Parabéns! O Santander te proporcionou uma ida ao mundo luso, mas você, pelo esforço e determinação conseguiu fazer de um sonho a realidade. Sucesso, muito sucesso. Precisamos repassar toda essa experiência para que outros alunos, brasileiros, comecem a despertar que tudo é possível, inclusive, continuar a fazer HISTÓRIA em terras portuguesas!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s